quinta-feira, 14 de outubro de 2010

fritura

proliferação desenfreada
anuncia a catástrofe urgente.
a semente de todo mal
impregna o sal e o azeite.
aceite a inseminação
que amarga o teu gosto quente.

a frenética putrefação não escolhe
a conta
o caule
o cacete

é tempo de implosão

implore pela lâmina
antes que seja tarde.
aguarde a secura na boca
quando as entranhas
escorregarem aos dedos.

mastigue o nó que prende
a cura
macula o parto pré-maturo
pós insanidade santa.

pregue os olhos na cruz e
isenta o delírio da dor
mantra
rasga a fibra que te corta
fundo

inunda o mundo
de temperos
e odores

Um comentário: